Notícias

A mudança de hábitos com a pandemia

A pandemia provocada pelo Covid-19 está se estendedo bem mais do que gostaríamos. Com isso, novos costumes – inclusive financeiros – estão entrando na rotina das pessoas. Eles vieram para ficar?

Primeiramente, sim. Com o isolamento social e boa parte do comércio e serviços fechados – ou trabalhando remotamente – a população tem se rendido à utilização dos meios eletrônicos. As compras virtuais tiveram um grande incremento. Os pedidos de entrega via aplicativos também. Parece que um novo modo de vida começa a se desenhar para o futuro.

Uma das vantagens da utilização de plataformas eletrônicas é a possibilidade de fazer, rapidamente, comparações de produtos semelhantes e preços. E isso pode levar a uma mudança de hábitos, já que uma pesquisa feita pela internet demanda menos tempo e esforço do que aquela feita pessoalmente. E esse parece ser um dos novos ‘nortes’ com os quais as pessoas terão que se acostumar. Menos deslocamentos pelas cidades, maior tempo disponível para produzir ao invés de ficar retido no trânsito pesado, esse deverá ser o novo normal que veremos após essa pandemia passar.

Outra novidade gerada por esta situação são as chamadas lives, transmissões ao vivo, muitas delas produzidas amadoristicamente, e que tentam driblar a impossibilidade de ir presencialmente a shows, cinema, teatro. Aglomerações estão fora de cogitação. Algumas experiências em cines drive-thru estão demonstrando resultado alentador em algumas médias e grandes cidades brasileiras. A modificação nos negócios será obrigatória e fará com que empresários batam cabeça para encontrar soluções, preferencialmente inovadoras. Parece que esse episódio está criando uma necessidade maior de conforto sob o ponto de vista do consumidor.

Mas uma das maiores mudanças vem do mercado de trabalho: a adoção do trabalho remoto. O home office e o home work são novos formatos que tem tudo para vingar. Inicialmente havia uma grande desconfiança com relação a essa evolução, mas a experiência mostra que se trata de uma alternativa séria, de custo menor e que pode inclusive melhorar a produtividade das pessoas em determinadas circunstâncias. Imagine o ganho de tempo em se trocar o deslocamento de carro ou metrô por São Paulo, por exemplo, para ir trabalhar. Mais tempo disponível, menos estresse e, provavelmente, mais produtividade. A confirmação desses potenciais benefícios só virá com o tempo.

Coronavírus

José Mario

Sobre José Mario

José Mario é pós-graduado em Administração e empresário. Foi bancário, árbitro de Tribunal de Mediação e Arbitragem e dirigente de classe empresarial. Especialista em microfinanças, é Orientador em Finanças Pessoais desde 2001, dedicando-se à educação financeira e interessado em tudo o que se relaciona com o assunto. É o editor da Clínica de Finanças, website voltado ao ensino e análise das finanças pessoais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *